Diversa Consultoria em Sustentabilidade

21/01/2014 - Sócio-diretor da Diversa lança livro



 No dia 21 de novembro de 2013, foi lançado na Livraria Travessa da Av. Rio Branco, no Rio de Janeiro, o livro Custos Ambientais da Produção de Energia Elétrica, de autoria de Ricardo Cavalcanti Furtado, sócio-diretor da Diversa Consultoria em Sustentabilidade. Em Recife, o livro será lançado no dia 13 de março de 2014, às 19 horas, na Livraria Saraiva do Shopping RioMar.  
O livro apresenta uma avaliação dos custos ambientais de três opções tecnológicas de geração de energia elétrica no Brasil e visa contribuir para a incorporação das externalidades ambientais na metodologia de seleção das fontes de produção de energia elétrica no planejamento da expansão do setor elétrico.

Embora o livro seja uma síntese de uma tese de doutoramento desenvolvida há 18 anos, uma das razões para sua publicação foi sua atualidade. Do início de 2005 a maio de 2010, seus resultados foram amplamente utilizados na Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e forneceram a base para a avaliação do valor dos custos socioambientais dos orçamentos dos empreendimentos hidrelétricos, visando o estabelecimento do preço da energia para os leilões de geração, particularmente daquelas localizadas na região amazônica: as usinas do rio Madeira e a usina hidrelétrica (UHE) de Belo Monte. No caso dessa última, usando o limite superior dos custos de degradação da UHE Belo Monte estabelecido pela pesquisa, foi possível reduzir quase um bilhão de reais apenas da rubrica socioambiental do orçamento dessa usina. Essa redução contribuiu significativamente para um menor valor do custo da energia do leilão, beneficiando milhões de consumidores de energia elétrica. O uso de seus resultados foi também relevante para os estudos socioambientais do Plano Nacional de Energia 2030 e do, não publicado, Plano Nacional de Energia 2035.

Outra razão foi seu ineditismo, ainda mantido na literatura brasileira depois de todos esses anos. De fato, esse foi o primeiro e único estudo, até o presente, a quantificar os custos de degradação de projetos de geração de energia elétrica no Brasil. Esta publicação pode ser um incentivo para que outros estudos sejam realizados, aprimorando a questão da monetização de impactos ambientais no Brasil.

A terceira, e última razão, diz respeito à contribuição da pesquisa descrita para a ampliação do conhecimento dos profissionais da área de meio ambiente no campo da economia ambiental. Nessa área, há uma lacuna de publicações em português, que integrem a teoria da economia ambiental a estudos de caso de quantificação de impactos ambientais.

A literatura existente reconhece que o planejamento de fontes de energia com base no critério de mínimo custo deve levar em conta os custos das externalidades ambientais dos projetos. O estudo que deu origem ao livro foi o primeiro a quantificar os danos ambientais de projetos de geração de energia elétrica no setor elétrico brasileiro e, o mais importante, a revelar a preferência social dos consumidores pelos projetos de produção de energia elétrica e os custos do desenvolvimento de projetos de usinas.

Usando três métodos distintos de coleta de dados: pesquisa de valoração contingente; entrevistas semiestruturadas; e análise de informação de arquivo, a pesquisa de doutoramento, base do livro, determinou os custos ambientais de três tecnologias diferentes para a produção de energia elétrica: hidráulica; carvão; e nuclear.

O estudo mostrou que a maior parte da variação da Disposição a Pagar (DAP) por externalidades ambientais decorrentes de fontes de produção de energia elétrica pode ser explicada pela atitude do usuário em relação ao ambiente, pela sua renda e pelo seu consumo de eletricidade. Para os projetos de plantas que queimam carvão e as que usam combustível nuclear, a origem dos entrevistados também é um fator determinante de sua DAP.

O trabalho descrito pode contribuir para uma avaliação dos valores financeiros internacionais que seriam necessários para compensar o Estado pelo não desenvolvimento de recursos naturais de interesse global. Claramente, essa é uma questão da maior importância, com muitas ramificações econômicas e políticas, mas o trabalho aqui descrito é um pré-requisito essencial para a sua solução.

« Voltar